Potencial hídrico da Serra do Japi ganha destaque no JJ Regional

Serra do Japi
Arquivo JJ

JJ Regional destaca proposta da ONG de uso do potencial hídrico da Serra do Japi para abastecimento de Jundiaí

Com a represa da DAE operando em menos de 20% de sua capacidade devido a um longo período de estiagem, soluções a longo prazo começam a ser solicitadas pela população. De acordo com a ONG Coati, a Serra do Japi é a solução mais eficiente para uma iminente falta de água.

“Hoje a Serra é responsável por 7% do abastecimento de água de Jundiaí, mas essa capacidade pode ser ampliada”, afirmou o diretor administrativo Fábio Campos. A ONG realizou uma simulação em 3D sobre a possibilidade de represamento da Serra. O gráfico mostra que é possível multiplicar o represamento em quase sete vezes com reformas pequenas, que não representem tanto impacto na natureza, nem investimento tão alto.

“A Serra é nosso manancial, é um local que produz água naturalmente. Quando há chuvas as montanhas se tornam um grande tobogã, seria o caso apenas de armazenar essa água corretamente para poder usufruir”, acrescenta. Em nota, a DAE Jundiaí explicou que há estudos de 2009 que analisaram o potencial de abastecimento da Serra. Naquele ano, os custos das obras para ampliar os reservatórios chegaria a R$ 45 milhões, o que garantiria o aumento do potencial para 15% do abastecimento local.

Nesse momento o estudo está sendo atualizado, considerando o novo contexto de uso de ocupação de solo. As leis de proteção à Serra do Japi determinam, entre outros fatores, a proteção das águas. “Ao longo dos canais de escoamento dos rios que saem da Serra, a proteção das águas e da vegetação se fará com a maior rigidez até 1 mil metros em relação à base da Serra, visando garantir a qualidade da água e a vegetação de fundo de vale.”

Para o representante da ONG, depender da água do rio Atibaia pode ser arriscado a longo prazo. “Logo mais vai chover e a preocupação de todo mundo acaba. Mas ano que vem tem de novo, e no ano seguinte. O que faremos em dez anos? Essa outorga que temos para recalcar água do rio Atibaia é muito frágil em minha opinião, é óbvio que se faltar água o rio terá que socorrer as cidades que fazem parte da bacia dele e não a nós.”

Se não aceito o projeto de represamento de água da Serra, Fábio Campos sugere, ainda, que seja montado um conselho público formado de representantes da sociedade civil e governantes para discutir os recursos hídricos. “Está na hora do governo dar alguma garantia aos moradores.”

Fonte: Carina Reis, do JJ Regional

 

Confira a simulação em 3D e mais detalhes do projeto de represamento:

 

 

 

Resgate da Vida Marinha inicia neste semestre

Resgate

Por meio do convênio firmado com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo e parcerias com as Prefeituras Municipais de Ilha Comprida e Cananéia e Instituto Gremar, o núcleo COATI-Juréia adquiriu uma viatura para resgate de animais marinhos. O projeto conta com a adaptação de veículo para captura e transporte dos animais e está previsto para iniciar no primeiro semestre deste ano.

O veículo foi entregue hoje (26/03) para os representantes da entidade no litoral, que serão responsáveis pelo projeto. Em breve está previsto um seminário em Cananéia para apresentar o projeto e a entrega oficial do veículo com a presença de autoridades políticas, empresariais, imprensa e a população em geral.

TartarugaA bióloga do COATI-Juréia, Dany Godoy, informa que anualmente diversos animais são encontrados vivos nas praias que abrangem Iguape, Ilha Comprida, Cananéia e Ilha do Cardoso, litoral sul do Estado de São Paulo, com destaque para pinguins, além de pequenos cetáceos, lobos-marinhos, tartarugas entre outros.

“Por vezes esses animais estão apenas descansando, mas, na maioria dos casos, são encontrados debilitados, doentes e emalhados, necessitando ser encaminhados para um local adequado, onde receberão os cuidados necessários”, explica Dany.

O centro de reabilitação mais próximo da região está no Guarujá, onde se localiza o Instituto Gremar. Para que os animais, depois de uma avaliação de um biólogo ou veterinário, sejam encaminhados para este Centro foi necessária a aquisição de veículo apropriado para minimizar o stress do animal e a alta taxa de mortalidade no transporte.

A equipe do Coati-Juréia que irá trabalhar no projeto Resgate da Vida Marinha estima que a demanda para o resgate e transporte de animais marinhos e silvestres será de aproximadamente 50 animais por ano. Inicialmente a equipe será formada por cinco profissionais, entre biólogos, veterinários, educadores ambientais, além de voluntários.

O grupo também elaborou materiais informativos e educativos referentes às condutas a serem adotadas pela população, além de cartilhas para a conscientização nas escolas. O material começará a ser distribuído ainda neste mês. “A ideia é que o material seja distribuído na alta temporada e em pontos turísticos, além de locais com boa concentração de pessoas”, diz a educadora ambiental Débora Rodrigues.

VeículoEmendas animais / A aquisição do veículo Doblo Cargo foi adquirido por meio de uma emenda parlamentar do então deputado estadual Pedro Bigardi (PCdoB), prefeito eleito de Jundiaí, que conquistou o valor de R$ 60 mil. Esta foi a quarta conquista de Bigardi para entidades que cuidam da preservação ambiental durante o mandato de deputado estadual, num total de R$ 200 mil. Antes do Coati, foram beneficiadas A Associação Mata Ciliar, com R$ 55 mil, a União Internacional Protetora dos Animais (Uipa), com R$ 50 mil e o título de utilidade pública estadual, além do SOS Animais Abandonados, que recebeu R$ 50 mil.

 

 

CrasInstituto Gremar / O projeto Resgate da Vida Marinha conta com a importante parceria com o Instituto Gremar, localizado no Guarujá. A entidade atua em toda a Baixada Santista e com a parceria com o Coati-Juréia as ações se estenderam até o litoral sul.

Segundo a veterinária responsável do Gremar, Mariana Zillio, os principais animais atendidos no CRAM (Centro de Resgate de Animais Marinhos), que se localiza na Ilha de Arvoredos, são as tartarugas marinhas e aves residentes, além de pinguins, no inverno. Segundo ela, o CRAM, que funciona como uma espécie de hospital de animais marinhos, não têm patrocínios e conta apenas com ações voluntárias. O gasto mensal atinge R$ 30 mil.

“Com a parceria com a ONG COATI iremos atingir um grupo de animais que encalham doentes em uma região onde antes não tínhamos folego para resgatar, aumentando nossa área de atuação e podendo dessa maneira ajudar os animais que antes ficavam desprotegidos”, diz Mariana.

 

Projeto Resgate da Vida Marinha será apresentado em Cananéia

Convite

No próximo dia 10 de maio, a ONG COATI irá apresentar o projeto Resgate da Vida Marinha com a presença de parceiros e autoridades envolvidas na ação. O evento será realizado das 13h30 às 18 horas, no prédio da Bola de Neve Church, localizado no Centro de Cananéia, litoral sul de São Paulo.
O seminário de apresentação contará com a participação dos prefeitos de Ilha Comprida, Décio José Ventura, e do Balneário de Cananéia, Pedro Ferreira Dias Filho. A entidade estará representada pela presidente do Conselho Deliberativo e Fiscal, Márcia Carneiro Leão, e a veterinária do núcleo Juréia, Ana Carolina Baptista Pinheiro.
No encerramento do evento haverá um coquetel e a apresentação do veículo que será utilizado no resgate dos animais marinhos. Trata-se de um Fiat Doblo Cargo adaptado que foi adquirido por meio de uma emenda parlamentar do então deputado estadual Pedro Bigardi, prefeito eleito em Jundiaí.

O Projeto
A equipe será formada por biólogos, veterinários e voluntários e será realizada em parceria com o Instituto Gremar, pioneiro na Baixada Santista no resgate e reabilitação de animais marinhos vitimados, entre outras ações ambientais. O Centro de Reabilitação do Gremar está instalado na Ilha de Arvoredos, no Guarujá.
O núcleo COATI-Juréia irá atuar em Ilha Comprida, onde há a maior incidência de animais marinhos encontrados no litoral sul paulista, como tartarugas marinhas, aves residentes e até pinguins e lobos-marinhos no inverno. O objetivo é realizar o primeiro atendimento em Ilha Comprida e, nos casos mais graves, o veículo irá transportar o animal para tratamento no Instituto Gremar.

Passeio fotográfico e aventura em Munhoz

Passeio Fotografico e Aventura em Munhoz

O Coati-Adventure preparou uma gostosa viagem no feriado de 1º de maio (quarta-feira) com o Passeio Fotográfico e Aventura em Munhoz, sul de Minas Gerais. Será um dia cheio de muito verde e natureza, com um roteiro que inclui lindas cachoeiras, tirolesas de tirar o fôlego e um trekking por lugares espetaculares. O registro de boas fotos é garantido.

A saída está marcada para as 7 horas da manhã em frente ao Supermercado Russi em Campo Limpo Paulista, porém o ônibus passará por Jundiaí antes, em frente a sede do Coati (Rua Prudente de Moraes, 596, Centro). Em Munhoz também haverá um grupo que participará e o encontro está previsto para ocorrer às 9 horas da manhã em frente a Pizzaria Bella Itália – sede provisória do núcleo Coati-Minas.

O valor do pacote é de R$ 130,00 ou duas de R$ 65,00. O pagamento também pode ser financiado em até 12 vezes pelo sistema Mercado Pago pela internet. O pacote inclui café da manhã e uma comidinha mineira no almoço, além das atividades de tirolesa, trekking e transporte, pela empresa Isabela Turismo, com total conforto e segurança.

Não fique fora desta aventura. Para participar entre em contato com Fábio Patelli pelo telefone (11) 9 9537-0770 ou pelo e-mail coati@coati.org.br.

 

O pagamento pode ser parcelado com cartão de crédito em até 12 vezes através do link abaixo do sistema Mercado Pago:

https://www.mercadopago.com/mlb/checkout/pay?pref_id=78466955-56d754be-da93-420b-889c-aceaf2285e89

Eco Pedal na Juréia

Apresentação Eco Pedal Jureia

O primeiro Eco Pedal do ano organizado pelo Coati-Adventure será realizado de 19 a 21 de abril pelas trilhas da Estação Ecológica Itatins-Juréia. São 10 vagas disponíveis e o valor do pacote é de R$ 380,00 ou 2x de R$ 190,00, incluído hospedagem, alimentação completa e transporte. O pacote pode ser financiado em até 12 vezes com cartão de crédito pelo sistema Mercado Pago, pela internet.

O grupo ficará hospedado na pousada da ONG Coati situada na Vila Barra do Una, dentro da Estação Ecológica Itatins-Juréia, em Peruíbe. A casa que também é sede do núcleo Coati-Juréia fica a 100 metros da praia e ao lado do rio Una. Durante o passeio ciclístico, os participantes poderão ter um contato com uma das últimas reservas da Mata Atlântica do Brasil cercado de uma floresta exuberante e belas cachoeiras.

Os praticantes devem entregar as magrelas com um dia de antecedência à bicicletária de Campo Limpo Paulista, Gebran Bikers, para que elas possam ser embaladas em caixas e seguir viagem junto ao micro-ônibus no bagageiro. A saída está marcada para as 22 horas do dia 19 (sexta-feira) e retorno às 21 horas do dia 21 (domingo). Imperdível.

Mais informações com Fábio Patelli pelo telefone (11) 9 9537-0770 ou Gebran Bikers (11) 4039-4518.

 

O financiamento da viagem pode ser feita pelo Mercado Pago através do link abaixo, basta apenas se cadastrar:

https://www.mercadopago.com/mlb/checkout/pay?pref_id=78466955-6d0b7b49-a67c-4c02-95f6-4595f49587c3&llsFlag=true&flowId=89100170-9782-4135-9838-ed34dc107b05

Bem-vindos ao novo site da ONG COATI

Site-Coati

É com orgulho que a organização não governamental Centro de Orientação Ambiental Terra Integrada (ONG COATI) apresenta seu novo site, que foi reformulado para ter uma interatividade maior com ambientalistas de todo o mundo e divulgar os trabalhos realizados nos núcleos de Jundiaí, Juréia, Minas e ABCD.

A nova página na internet do COATI é lançada em um dos momentos mais agitados destes 20 anos de trabalhos prestados em prol do meio ambiente e cidadania. Muitos projetos novos estão em desenvolvimento, como o recém-criado núcleo na região do ABCD paulista, com sede em Santo André. Também temos o braço radical da entidade, o Coati Adventure, que oficializa o trabalho de turismo ecológico que a organização realiza desde a sua fundação, em 1992.

Mas o maior projeto em desenvolvimento no momento é o de resgate de animais marinhos no litoral sul paulista, por meio de um veículo que está sendo adaptado. Os trabalhos serão realizados por meio de um convênio com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo e parcerias com as Prefeituras Municipais de Ilha Comprida, Cananéia e Instituto Gremar. O projeto está previsto para iniciar ainda neste primeiro semestre.

O novo site da ONG COATI também será um canal a mais de comunicação para denunciar agressões ao meio ambiente, campanhas, e todo o tipo de movimento que beneficie a natureza e cidadania. Esperamos que a população aproveite este canal, mandando críticas e sugestões.